Que venham todos os pobres da Terra
os ofendidos e humilhados
os torturados
os loucos:
meu abraço é cada vez mais largo
envolve-os a todos!

Ó minha vontade, ó meu desejo
— os pobres e os humilhados
todos
se quedaram de espanto!…

(A luz do Sol beija e fecunda
mas os místicos andaram pelos séculos
construindo noites
geladas solidões.)

Manuel da Fonseca, in "Poemas Dispersos"

Zeca chegou até nós num estilo diferente, um free jazz que lembra José Afonso na mão de jovens e talentosos músicos.

No próximo sábado, dia 17, chega-nos uma homenagem a Manuel da Fonseca, poeta do novo cancioneiro que teve através da sua arte uma intervenção politica e social, retratando o povo, a sua vida, os amores, as misérias, a guerra, a amizade, sempre seguido de perto pela censura.

Ainda no mesmo dia recordaremos outros poetas, os Amigos de Abril trazem outros poemas, numa fusão entre música e poesia. Será tudo isto e muito mais em mais uma noite cheia na Soir-Joaquim António D’aguiar, recordando todos aqueles que deram um importante contributo na construção da liberdade e na construção de uma melhor sociedade. Tudo isto dia 17 pelas 22h!