“Não há ventos que não prestem

nem marés que não convenham

nem forças que me molestem

correntes que me detenham”

António Gedeão em "Fala do homem nascido"

Samuel Quedas e Nuno do Ó trouxeram as poesias e as musicas de revolução, de liberdade e de amor até ao palco da Joaquim António d’Aguiar. Das Poesias de Gedeão e Ary, às musicas de Pablo Milanês e Zeca Afonso, passando por originais dos dois cantores e tantos outros autores que cantaram a Liberdade, a noite fez-se de amizade e histórias de outros tempos, onde o tempo passou a correr.

Começa assim o primeiro dia do Café Abril, segue-se no próximo sábado o concerto de JazZeca, invocando a memória de José Afonso.